Arte como cartão-postal

Projeto para a implantação de lojas de artesanato em pontos turísticos do Rio chega ao Jardim Zoológico e expõe o trabalho de profissionais de 40 cidades

Rosemere Cerqueira, Robson Roots, Mônica Ramos e Ana Santos com as peças que produzem diante da Loja Oficial do Programa de Artesanato do Estado no Rio, inaugurada no RioZoo: geração de renda – Maíra Coelho / Agência O Dia.

Há mais de 10 anos, a artesã Mônica Ramos produz e comercializa bichinhos de miçanga, que servem como chaveiros ou ponteiras para lápis e canetas. Ela vive em Nilópolis, mas já morou na comunidade da Mangueira, perto do Jardim Zoológico do Rio. E todo domingo ia com a família ao ponto turístico, onde sonhou um dia expor seus produtos. Sonho realizado. Mônica Ramos é uma das profissionais com produtos à venda na Loja Oficial do Programa de Artesanato do Estado do Rio, recém-inaugurada numa parceria entre a Secretaria de Estado de Turismo e o Grupo Cataratas, que administra o RioZoo.

“Sempre pensei que este seria um ponto ideal de vendas, pois os turistas podem levar para casa uma lembrancinha dos animais que viram. Realizei um sonho”, disse a artesã na cerimônia de inauguração da loja, na última-quarta-feira.

Para Nea Mariozz, subsecretária adjunta de Turismo e coordenadora do Programa de Artesanato, além de garantir uma fonte de renda para os artesões fluminenses, a loja dá visibilidade aos profissionais. “Queremos fazer essa economia girar, dando escoamento internacional à produção dos artesões do Rio. A proposta é colocar lojas em todos os pontos turísticos do estado”, diz.

A loja de artesanato do RioZoo é a terceira inaugurada no Rio. As outras duas estão no Corcovado e no AquaRio. Elas expõem a produção dos artesãos registrados no Programa de Artesanato, que já cadastrou mais de 10 mil profissionais em 40 cidades. Além de Mônica Ramos, também estão credenciados profissionais com perfis variados. Robson Roots, por exemplo, pinta em madeira. Rosemere Cerqueira produz peças de crochê. Ana Santos transforma garrafas em objetos de decoração. E todos eles usam o artesanato como uma arte capaz de se transformar em um outro tipo de cartão-postal do Rio.

 

 

Fonte: Jornal O Dia.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*